Central de Ideias Vivendo o Reino

Quando a missão fala mais alto

Um ano em missão
Diego Oliveira da Costa – Voluntário em Um Ano em Missão

Quando falamos em missionário, pensamos naquela pessoa que larga tudo com o propósito de servir em outro país. E por muitas vezes nos colocamos fora desse grupo de pessoas, achando que não temos uma missão. Saibam que, todos têm uma missão. Isso não quer dizer, necessariamente, que você terá que viajar pra África, ou, que sempre terá que deixar tudo e sair do seu convívio social e familiar. Quer dizer que onde você está, você tem um propósito missionário a cumprir. Jesus quando esteve aqui, nos ensinou sobre os princípios do Reino, e deixou muito clara a sua missão neste mundo: buscar e salvar o perdido.

Muitos jovens, entendendo esse chamado, têm feito de sua vida um campo missionário aonde quer que estejam. É o que podemos ver na vida do jovem missionário, Diego Oliveira Costa (26). Enfermeiro formado pela Universidade Potiguar (UNP), atuou como associado do Ministério Jovem da Missão Nordeste, para os Estados de Rio Grande do Norte e Paraíba, durante dois anos. Atualmente está cursando o primeiro período de teologia na Faculdade Adventista da Amazônia (FAAMA).

No ano de 2014, Diego foi selecionado para fazer parte do projeto Um ano em Missão da Igreja Adventista do Sétimo Dia, no campo da Divisão Sul Americana, juntamente com outros 23 jovens, vindos de toda América do Sul. E em fevereiro de 2015 saiu para dedicar um ano de sua vida e servir como missionários no Rio de Janeiro. Ele conta mais sobre sua experiência, os desafios e conquistas, em uma breve entrevista.

Conte sobre sua trajetória: onde nasceu, se cresceu em um lar cristão, sua religião.

Me chamo Diego Oliveira da Costa. Sou natural de Natal/RN, onde sou o mais novo de uma família de três filhos, sendo duas irmãs. No meu lar, somente minha mãe professa a fé cristã Adventista do Sétimo dia. O meu pai é católico. Eu me tornei adventista aos nove anos de idade, após cursar estudos bíblicos na classe bíblica do Clube de Desbravadores.

Como foi a decisão de participar desse projeto da IASD para os jovens, 1 ano em missão?

O Ministério Jovem é minha paixão, sempre fui envolvido e tive o privilégio de exercer todas as funções de liderança do mesmo, aprofundando mais meu desejo de servir a igreja. Porém, isso não era o suficiente. O meu coração ansiava por uma dedicação exclusiva para Deus e assim eu comecei a buscar meios para que isto acontecesse. Assim, no ano de 2014 conheci o projeto Um Ano em Missão/DSA, e mediante isso, senti o desejo de inscrever-me no processo seletivo.

O que passou pela sua mente quando você percebeu que teria que deixar tudo, passar um ano longe da família, amigos, namorada, deixar o emprego?

Senti que naquele momento, de fato, minha fé e minhas convicções seriam provadas. Largar tudo, seria para mim uma resposta do meu chamado à obra do Senhor.

Ao chegar na localidade aonde você iria realizar os trabalhos missionários, e você se encontra ali com pessoas de toda a América do Sul, como você conseguiu lidar com essa diversidade?

Durante meus anos de dedicação ao Ministério Jovem, trabalhei com muitas pessoas de diferentes pensamentos e ideias, mas ao chegar no projeto, não seria somente o trabalho, e sim o convívio diário. No início foi bastante difícil, lidar com as opiniões, divergências e algo que falava muito alto: Cultura! 24 jovens missionários, de regiões do Brasil e América do Sul, cada um carrega no coração costumes diversos, este foi o maior desafio. O Espírito Santo nos ajudou a compreender cada um e a cada situação, ser empático.

Quanto aos desafios de ser missionário, no Rio de Janeiro, enfrentar os perigos de uma grande metrópole. O que foi mais difícil para você em suportar, que fez você entender que precisava de dependência divina para aguentar até o fim?

Só quem mora ou já morou no Estado do Rio de Janeiro, consegue compreender de fato o que é diversidade cultural, econômica e principalmente religiosa daquele estado. Em todos os momentos que saímos diariamente para os trabalhos missionários, buscávamos a presença de Deus e a guia do Espírito Santo para sermos de fato luz em meios as trevas. O maior desafio era o sincretismo religioso. Este, de fato, necessitava muito da ajuda divina para quebrar as correntes do mal.

Durante um ano, Diego, as histórias de missão são muitas. Mas, de todas as histórias, relate uma que tocou a sua vida profundamente.

Ao chegarmos ao campo de missão, presenciamos muitos milagres e transformações de vida, mas a história da Mariza me comoveu e fez enxergar mais ainda o amor de Deus. Ela começou a frequentar as atividades que realizávamos no Espaço Novo Tempo, logo no início do ano. Assim, começamos a ter contato e iniciar uma amizade. Durante todo o ano, ela foi ouvindo falar sobre o amor de Deus que transforma vidas. Ao chegar no final de outubro (já quase no fim do projeto) ela decidiu realizar um estudo bíblico conosco. Até então, parece uma história normal, mas não para uma senhora de idade, psicóloga de formação, católica (estudiosa), que naquele mesmo ano, pensava que não havia mais motivos para viver, pois a missão dela já tinha terminado aqui nesta terra. Bom, após os estudos bíblicos, aquela frequentadora e observadora do amor de Deus, decidiu não somente observar, mas viver este amor e assim, no dia 28 de novembro de 2015 ela entregou sua vida a Jesus. Com esta história mais que real, percebo que não existe distancia para Jesus alcançar o coração do perdido.

Depois dessa experiência que você teve. Existe, hoje, uma definição clara na sua mente do que é viver a missão?

Uma vida sem Missão, é uma vida sem razão.

Em nosso tempo, qual a importância dos jovens serem missionários?

As faculdades mentais dos jovens da atualidade quebrarão muitas barreiras, se forem empregadas no serviço missionário. Todo jovem cristão adventista, deve se engajar no serviço e obterão uma nova visão do cristianismo.

Uma mensagem que você deixaria hoje, para aqueles que também querem participar de algum projeto missionário.

Cristo veio a terra para realizar uma obra especial na vida dos perdidos, o livro de Lucas 19:10 “porque o filho do homem veio buscar e salvar o perdido”. Este texto revela a missão de Cristo. Buscar e salvar o perdido, assim nós que fomos chamados das trevas para a maravilhosa luz, devemos ajudar outras pessoas a encontrarem a Luz. Nosso dever é pregar esta mensagem de salvação! Na missão, além de muitas coisas que aprendi, a principal foi: Deus me levou para a missão, com o objetivo de me salvar! “Quer conhecer a Deus? Se envolva na Missão! ” Estarei orando por você!

About the author

raiane

7 Comments

Click here to post a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE